sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Balanço de 2015


O ano que findou foi bem razoável em termos de corridas!
No conjunto de treinos e provas, foram 2.368 quilómetros, distribuídos por 216 atividades.

Com muita pena minha, em apenas quatro meses consegui ultrapassar a fasquia dos 200 quilómetros mensais, que seria a meta.

Para os objetivos que tenho ambicionado, tipo maratonas de estrada e provas de trilhos até 50 quilómetros, um volume de treino abaixo dos 200 mensais é claramente insuficiente!
Nestas condições por exemplo, iniciei a maratona do Porto apontando para um tempo de 3h30 mas com a perfeita consciência de que poderia “colapsar” e a coisa “dar para o torto”! Felizmente correu bem, todavia, sem um treino consistente de base, o sucesso será sempre incerto!

O tempo para treinar é pouco, como aliás para toda a gente. Alguns conseguem no entanto “inventar” tempo para esta atividade, inevitavelmente roubando esse tempo a outras atividades, à família, aos amigos, e sobretudo ao sono e a um descanso que assim fica perigosamente na fronteira dos limites saudáveis.
Não irei por aí,…

A corrida não é tudo! Não colocarei em risco coisas importantes da vida para conseguir 3 horas à maratona, por exemplo!

A corrida terá, como até agora de fazer parte da vida em regime de equilíbrio com mais coisas, muitas das quais, mais importantes. E é assim que irá continuar J
Bom, chega de filosofia de cordel e vamos ao que interessa, as provas realizadas em 2015!

Prova duríssima, sobretudo devido às chuvas diluvianas dos dias que antecederam a prova e que deixaram o terreno num estado lastimável.

Trilho do Castelejo

Prova feita em estado febril, que ter-me-á afetado o raciocínio. A opção sensata seria ter ficado em casa. Como resultado, no dia seguinte tive de ir às urgências do hospital devido ao agravamento da gripe.


Corta Mato Nacional Ferroviário – Entroncamento
Prova entre colegas de profissão, com um excelente convívio no final.


Excelente recordação de passar a ponte a pé (gosto da sonoridade da frase J)


 Ultra Trail do Piódão
Duríssimo em termos de desgaste. Tive de “dar o litro” para terminar com luz do dia!
Outra prova duríssima. Demorei dez horas e meia para concluir, e não fui o último!
Corrida de 10K. Velocidade em estado puro!
 Corrida dos Moinhos de Penacova  
Corrida de montanha; conceito ligeiramente diferente do trail. Imperdível.


 Missão24


Não é uma competição. É uma iniciativa em que alia o prazer da corrida a uma causa social.

 
 
Nova tareia na serra da Lousã!
 
O grande objetivo do ano

 
A festa (ou, lamber as feridas da Maratona do Porto J)

 
Um bom ano de 2016 e boas corridas!

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

S. Silvestre “Pirata” Praia da Tocha - Cabedelo


Mais um ano, mais um Natal, e, mais uma corrida de “S. Silvestre”, da liga dos amigos dos PelaEstradaForaJ

Este ano a “corrida” teve início na Praia da Tocha (uns quilómetros a norte da Figueira da Foz) e final na praia do Cabedelo, na margem sul do Mondego.

A distância foi de 31 quilómetros, boa parte dos quais em areia, como tem sido habitual nestes “eventos”.
Este ano, contudo, custou um bocadinho mais, devido à maré alta que nos obrigava a correr pela areia solta, e pelo vento de sudeste que contrariava o sentido da marcha.

O tempo decorrido de quatro horas não fez cair nenhum record olímpico mas foi sinónimo de uma epopeia bem divertida.
Ainda tentámos atrair mais incautos para se juntar à festa através do “livro das caras” , mas devido a vários fatores não tivemos sucesso.

Refira-se também que o nosso “evento” foi no dia da corrida de S. Silvestre da Figueira da Foz que, ao final da tarde, congregou a maior parte dos corredores do distrito de Coimbra, portanto, uma prova concorrente de peso J
Boas corridas e um bom Natal!

P.S.   E agora, umas fotozinhas para animar…
.
































terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Fim de época 2015


Após a Maratona do Porto e da Meia da Nazaré dou por terminada a minha época desportiva.
Durante o mês de dezembro posso eventualmente ainda fazer alguma prova, mas só se calhar em caminho, e apenas pelo prazer de correr, sem preocupações de preparação prévia, ou treino em especial.
Nesse espírito, rolei descontraído nos dois últimos fins de semana, pelas bandas da minha cidade adotiva de Leiria.
O desejado regresso aos montes dos arredores, Sra do Monte e Maúnça, paragens conhecidas para quem já correu nos “Trilhos Loucos da Reixida”, aproveitando também para rolar calmo nas agradáveis planuras dos campos do Liz.

À falta de inspiração para grandes prosas, e para memória futura, deixo algumas fotos desses passeios…
Boas corridas!
21-11-2015, Montes de Leiria

21-11-2015, Montes de Leiria

21-11-2015, Montes de Leiria - Medronheiros carregados. Tirei a barriga de misérias :)

21-11-2015, Montes de Leiria. Árvore singular no topo de um monte. Fez-me lembrar a excelente série "Six feet under"

A indispensável Selfie :). Gostei do impacto da foto. Tem um ar muito "national geographic" apesar de estar apenas no monte da Maúnça. (com um buff na cabeça e uns óculos espelhados na cara, qualquer "coxo" parece um "Pro" J)
 

Lugar de Fontes (nascente do rio Liz), o início destas aventuras
 

22-11-2015, Circuito Polis de Leiria

22-11-2015, Circuito Polis de Leiria

22-11-2015, Circuito Polis de Leiria

22-11-2015, Circuito Polis de Leiria

22-11-2015, Circuito Polis de Leiria

22-11-2015, Circuito Polis de Leiria. Ponte curva, está a ser usada para colocar cadeados, à semelhança da Pont des Arts em Paris

22-11-2015, Parque do avião.


22-11-2015, Avião cedido pela Base Aérea de Monte Real

22-11-2015, Circuito Polis de Leiria.

22-11-2015, Circuito Polis de Leiria. Começa a chover...

22-11-2015, Circuito Polis de Leiria. Chuva...
 
29-11-2015, Circuito Polis de Leiria, na companhia do PelaEstradaFora Júnior

29-11-2015, Circuito Polis de Leiria - Parque do Avião

29-11-2015, O novo Ex-Libris de Leiria - Uma árvore de Natal feita de paletes de madeira!